Arquivo da tag: malte

Como Armazenar os Insumos Cervejeiros

Quando começamos a nos aprofundar nas técnicas e etapas para produzirmos excelentes cervejas em casa, volta e meia esbarramos nos princípios que norteiam a qualidade da nossa cerveja, sendo um deles, a qualidade e frescor dos ingredientes utilizados.

No entanto, em muitos casos, para que possamos economizar um pouco de dinheiro, tanto em relação ao frete quanto pelo desconto, e/ou garantir um estoque de determinado insumo, somos levados a comprar os insumos em grandes quantidades, sendo assim, imprescindível saber como armazená-los corretamente.

Com isso, te faço uma pergunta: será que você está sabendo como armazenar os insumos cervejeiros corretamente?

Armazenando Corretamente os Insumos Cervejeiros

Assim, para lhe auxiliar nesse aspecto, vou lhe mostrar a forma correta de como armazenar e preservar seu malte, lúpulo e levedura, além de te ensinar a mensurar alguns fatores fundamentais quanto a perda de eficiência de determinado ingrediente com o passar do tempo.

Ah! Não se engane, mesmo você não pretendendo armazenar os insumos por muito tempo, é importante seguir algumas das dicas a seguir, para garantir assim, uma boa cerveja e, claro, não perder dinheiro.

Continue lendo

Da cevada ao Malte

Da Cevada ao Malte

Nessa segunda parte do Aprenda a Fazer Cerveja em Casa: Conhecendo os Insumos, vamos conhecer um pouco do caminho trilhado pela cevada até se transformar em nosso querido malte.

A cevada é um cereal cultivado para alimentação de pessoas e animais, possuindo em seu grão (ou semente) um alto teor de amido e baixa quantidades de proteínas, tornando-o ideal para a produção da cerveja.

Podemos citar duas variedades básicas de cevedas: a de duas fileiras (2-row) e a de seis fileiras (6-row). Onde a cevada de duas fileiras possui em sua espiga duas fileiras de grãos, o qual produz sementes maiores e níveis mais baixos de proteínas, trazendo um sabor mais refinado que a de seis fileiras. Já a cevada de seis fileira, traz grãos com tamanhos diferentes e em maior quantidade que o de duas fileiras, o que proporciona a falta de espaço para seu desenvolvimento contribuindo para que os grãos das laterais sejam mais finos e tortos, sem contar que possuem cascas mais grossa que a de duas fileiras.

Portanto, a cevada de duas fileiras é a mais utilizada na produção de cerveja, por conter grãos maiores e mais uniformes.

Para que a cevada possa se tornar uma fonte de açúcares, ela deverá passar por um processo chamado de malteação.

A Malteação

A malteação consiste em proporcionar uma germinação parcial dos grãos, processo fundamental para a liberação e formação de algumas enzimas que atuam na conversão do amido em açucares. Além de contribuir para a formação da cor, aroma e sabor, durante o processo de secagem.

O processo de malteação se inicia com a umidificação dos grãos de cevada, para que durante a germinação as enzimas -produzidas pelo próprio metabolismo das sementes- sejam ativadas e comecem a conversão das reservas de amido em açucares e aminoácios, utilizados para a formação de uma nova planta.

Continue lendo

Malte: o corpo da cerveja

Sua casca dura, o baixo teor de proteína e o alto teor de amido, faz com que o grão de cevada se sobressaia entre outros cereais, como o mais adequado para a fabricação de cerveja.

A cevada que sonha em um dia virar uma deliciosa cerveja, vai a luta sem medo de nos fazer feliz!

Após a colheita a cevada é levada para a maltearia, onde será submetida ao processo de malteação. Este processo é o responsável por tornar o amido de dentro das sementes mais macio – o grão não maltado é duro feito pedra – além de obter outras mudanças físicas e químicas, que o torna pronto para o macerado.

A malteação consiste em deixar o grão espalhado num piso de concreto especial, onde será borrifado com água até se iniciar a germinação das sementes. É fundamental que o malteador mantenha sempre fresco e aerado o fundo do piso, revolvendo constantemente as sementes.

Por volta de uns três dias de germinação o amido das sementes já está macio e repleto de enzimas naturais.

Olha que belezinha a cevada germinada...

Olha que belezinha a cevada germinada…

Continue lendo