Como Armazenar os Insumos Cervejeiros

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Quando começamos a nos aprofundar nas técnicas e etapas para produzirmos excelentes cervejas em casa, volta e meia esbarramos nos princípios que norteiam a qualidade da nossa cerveja, sendo um deles a qualidade e frescor dos ingredientes utilizados.

No entanto, em muitos casos, para que possamos economizar um pouco de dinheiro – tanto em relação ao frete quanto pelo desconto, e/ou garantir um estoque de determinado insumo-, somos levados a comprar os insumos em grandes quantidades, sendo assim imprescindível saber como armazená-los corretamente.

Com isso, te faço uma pergunta: será que você está sabendo como armazenar os insumos cervejeiros corretamente?

Armazenando Corretamente os Insumos Cervejeiros

Assim, para lhe auxiliar nesse aspecto, vou lhe mostrar a forma correta de como armazenar e preservar seu malte, lúpulo e levedura, além de te ensinar a mensurar alguns fatores fundamentais quanto a perda de eficiência de determinado ingrediente com o passar do tempo.

Ah! Não se engane, mesmo que você não pretenda armazenar os insumos por muito tempo, é importante seguir algumas dessas dicas para garantir uma boa cerveja e, claro, não perder dinheiro.

Como Armazenar Corretamente os Insumos Cervejeiros

Sem dúvida um dos grandes desafios é saber como armazenar os insumos cervejeiros de uma forma que fiquem livres dos seus quatro inimigos básicos, que são: o calor, a luz, a umidade e o oxigênio.

Portanto, minimizar a exposição dos teus insumos a esses fatores é crucial para alcançar a qualidade estimada para sua cerveja.

Como Armazenar o Malte

Os maltes são relativamente estáveis e podem ser armazenados por mais de um ano, se mantidos em local fresco, livre de umidade, longe da luz e sem carunchos – e esse é bem difícil.

Guardá-los em sacos plásticos, baldes alimentícios ou em garrafas pet é uma boa, no entanto, por si só não previnem contra o maior inimigo do malte: o caruncho.

Os carunchos se proliferam rapidamente e, como seu principal alimento é o amido contido nos grãos, podem afetar diretamente a sua eficiência comprometendo, desta forma, quilos de maltes em pouco tempo.

Um outro problema relacionado a esses benditos bichinhos é que em praticamente todo malte existem ovos de carunchos que podem eclodir a qualquer momento.

Mas calma, podemos aniquilar esses bichinhos facilmente!

Uma das formas que mais utilizo para guardar o malte por um longo tempo, a qual garante uma melhor eficiência contra esses benditos, é armazenar os grãos em garrafas pet ou galão de água de 5 litros, conforme segue:

1 – Lave o interior da garrafa que pretende utilizar com um pouco – bem pouco! – de detergente, e em seguida, enxágue muito bem.

2 – Coloque um pouco de álcool 70% no interior da garrafa, feche e chacoalhe de uma forma que todo o interior da garrafa tenha contato com o álcool.

3 – Coloque as garrafas para secar de boca para baixo. Normalmente eu deixo de um dia para o outro.

4 – Quando a garrafa estiver completamente seca, com o auxílio de um funil, encha a garrafa com os grãos.

5 – Ao encher a garrafa com o malte, bata algumas vezes no fundo da garrafa, para que os grãos se assentem, podendo acrescentar mais malte. Faça isso até que mesmo batendo não seja possível acrescentar mais.

6 – Ao completar a garrafa, pegue um pedaço de algodão e molhe-o num pouco de álcool. Em seguida, posicione-o no topo dos grãos, coloque fogo e tampe imediatamente. Esse procedimento fará com que todo o oxigênio contido no interior da garrafa seja consumido, e quando isso acontecer, o fogo apagará.

7 – Vede a tampa da garrafa com um pouco de vela, bastando, para isso, deixar pingar um pouco de vela ao redor da base da tampa.

Esse procedimento irá te permitir armazenar seu malte por um longo período de tempo sem precisar se preocupar com a infestação de carunchos, pois assim os maltes ficarão num ambiente livre de oxigênio, o que impossibilita o crescimento deles.

Sim, você irá matá-los por asfixia… :_(

Um outro método muito utilizado por cervejeiros caseiros consiste em colocar o malte dentro de um balde alimentício e posicionar uma vela acesa no topo dos grãos fechando-se o balde em seguida. Após consumir todo o ar de dentro, o fogo se apagará.

Caso você esteja precisando armazenar um pouco de malte que já esteja moído, é importante se atentar que devido à exposição do interior dos grãos ao oxigênio, eles não poderão ser armazenados por muito tempo. Assim, aconselho utilizá-los em no máximo 30 dias, armazenando-o em local livre de cheiro, calor, umidade, luz e oxigênio. Um recipiente de vidro com uma boa vedação é bastante aconselhável para esse caso.

Como Armazenar o Lúpulo

Como sabemos, os lúpulos são bastante “delicados” e os efeitos causados pela luz, calor, oxigênio e umidade são ainda mais prejudiciais que no malte.

Assim, a melhor forma de se armazenar o lúpulo é no freezer da sua geladeira e preferencialmente dentro de um saquinho ziplocks ou fechado a vácuo.

Além dos inimigos declarados ali em cima, o tempo também tem seu papel na degradação de alguns compostos do lúpulo, tanto em termo de alfa-ácido quanto de óleos essenciais.

E para se estimar a perda desses compostos deve-se levar em consideração o tipo de lúpulo, seu índice de armazenamento (HSI) e as condições de armazenamento, podendo algumas variedades durar por meses, enquanto outras, anos, se armazenadas corretamente.

Ok! Mas como saber a quantidade estimada do alfa-ácido do lúpulo que tenho guardado?

Bem, como vimos, existe um índice para o armazenamento do lúpulo chamado de HSI (Hop Storage Index), no qual se estabelece a quantidade de alfa-ácido que uma variedade de lúpulo irá perder em 6 meses a uma temperatura de 20ºC.

Todavia, esse índice por si só não diz tudo, necessitamos de alguns cálculos para estimar a deterioração do lúpulo conforme a forma e temperatura em que você o armazenou.

E, para facilitar nesse cálculo, eu disponibilizei na página Cálculos Cervejeiros uma ferramenta chamada “Calculando o Envelhecimento do Lúpulo”, nela você poderá calcular o valor de alfa-ácido estimado resultante conforme a embalagem que está usando, a temperatura de armazenamento, a idade do lúpulo e o HSI.

Ah! Para você saber o percentual médio de HSI de um determinado lúpulo basta acessar essa Lista de Lúpulos e clicar na variação de lúpulo desejado.

Dica Importante: na hora de comprar o lúpulo sempre pergunte o ano da safra e dê preferência para safras de no máximo 2 anos.

Como Armazenar a Levedura

As leveduras secas podem ser facilmente armazenadas e preservadas por bastante tempo apenas colocando-as, em sua própria embalagem, dentro da geladeira e de preferência num pequeno pote.

Vale ressaltar que o calor ou o congelamento são extremamente nocivos a essas pequenas criaturas, e guardá-las da forma como descrita acima proporcionará uma vida longa às leveduras, podendo durar de 1-2 anos. Ressalto, ainda, que as leveduras secas armazenadas na geladeira – com temperatura por volta de 3ºC -, perdem em média somente cerca de 4% da sua viabilidade por ano.

As leveduras líquidas, por sua vez, são mais sensíveis ao tempo, perdendo em média cerca de 20% de sua viabilidade ao mês, devendo assim, também serem armazenadas na geladeira para evitar uma perda ainda mais rápida dessa viabilidade.

Dica Importante: caso a levedura líquida ou seca que pretende utilizar esteja guardada por muito tempo, será imprescindível efetuar um Starter desse fermento conforme o explicado nesse post: “Como Fazer Corretamente o Starter do Fermento”.

Conclusão

Como vimos cervejeiro, devemos sempre nos atentar à forma como estamos armazenando nossos insumos, até porque, na falta desse cuidado, além de afetarmos a qualidade da nossa cerveja também podemos afetar o nosso próprio bolso. 🙂

2 ideias sobre “Como Armazenar os Insumos Cervejeiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*