Arquivos da categoria: Sobre a Cerveja

Da Cevada ao Copo: O Guia Completo Para Fazer sua Cerveja

Sim, Cervejeiro, as novidades aqui no Condado da Cerveja não param, e dessa vez, é com imensa satisfação – e uma IPA no copo – que lhe apresento o meu livro Da Cevada ao Copo: O guia completo para fazer sua cerveja em casa.

Livro Da Cevada ao Copo: O guia completo para fazer sua cerveja em casa

 

Fruto de grande relutância aos pedidos de muitos leitores aqui do blog, que comentavam da necessidade de existir uma referência clara e objetiva que guiasse os novos adeptos, bem como os já iniciados, a produzirem ótimas cervejas em casa…

E como diria minha avó: “Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”. 😛

Até porque, sei como é difícil o início da nossa jornada cervejeira. No começo da minha jornada, por exemplo, nem tudo foi de pleno acerto, cervejas maravilhosas e lúpulos frescos.

Tive diversos percalços no caminho, cervejas intragáveis e algumas frustrações.

E, claro, se eu tivesse um guia para me ajudar no início, com certeza, eu teria encurtado meu tempo de aprendizagem e minimizado minhas frustrações.

Por isso, sabendo da importância para os novos cervejeiros de conteúdo relevante, de qualidade e sem mimi sobre fabricação de cerveja, me convenci a arregaçar as mangas e criar o livro Da Cevada ao Copo.

E se você quer fabricar sua própria cerveja em casa, mas ainda não sabe por onde começar, tem dúvidas de que equipamentos comprar, os insumos certos que se deve utilizar, como proceder em cada uma das etapas de produção…

Se você já começou a produzir suas cervejas, mas não está contente com os resultados obtidos…

Continue lendo

Como Produzir uma India Pale Ale (IPA) em Casa

Se você, assim como eu, for um cabeça de lúpulo assumido com certeza tem as IPA’s dentre os estilos de cerveja preferidos. Agora, que tal aprender um pouco mais acerca de como produzir uma India Pale Ale (IPA) na sua panela cervejeira?

Bom, pode ficar tranquilo que nesse post não vou te encher com histórias e mais história acerca desse estilo – quem sabe num outro post -, aqui nós vamos direto ao ponto: como produzir uma ótima India Pale Ale em casa. 🙂

como produzir uma indian pale ale em casa

Os tipos de IPA e suas diferenças

Para começar, é importante observarmos algumas diferenças encontradas entre os três grandes tipos de IPA, que são: English IPA, American IPA e a Imperial IPA.

Sim, atualmente encontramos muitas outras variações desse estilo – Black IPA, Session IPA, Wit IPA… – as quais se distinguem por sua cor, levedura utilizada e teor alcoólico, entretanto, tais variações são derivadas desses três grandes grupos de IPA – English, American e a Imperial.

Continue lendo

Aprenda sobre o Processo de Fermentação

Muitos se preocupam excessivamente com a brassagem – não que não seja importante – mas acabam negligenciam o processo de fermentação. Talvez por ser um processo que não dependa de nossa intervenção, exceto pela inoculação do fermento, ou por ser realmente misterioso no começo.

Fermentação da Cerveja Artesanal

Fermentação da Cerveja Artesanal

A fermentação tem um papel essencial na produção da cerveja artesanal, pois é nesta etapa que as leveduras transformam o líquido adocicado que produzimos na tão desejada cerveja. E aprender como tudo isso funciona é de extrema importância para a produção de ótimas cervejas.

Durante a fermentação, as leveduras irão consumir os açúcares fermentáveis do mosto gerando o álcool e o CO2, os aromas e sabores, e também a redução o pH da cerveja.

O tempo e a temperatura de fermentação podem variar de acordo com a densidade inicial do mosto, o tipo de levedura utilizado e as características que você busca na cerveja.

O que leva a uma boa fermentação?

Basicamente três fatores são determinantes para uma boa fermentação:

– A quantidade e viabilidade da levedura utilizada;

– A aeração e os nutrientes dissolvidos no mosto;

– E o Controle da Temperatura de fermentação.

Continue lendo

O segredo por trás da Espuma da Cerveja

Pode parecer até piada, mas realmente a cerveja derrama muito menos que uma água ou café! E isso não é uma só uma observação de boteco…

O segredo da Espuma da Cerveja

Foi num daqueles momentos que sentamos no bar para beber uma ótima cerveja e expandir nossos pensamentos, que Alban Sauret refletindo sobre a dinâmica de fluidos, percebeu que sua cerveja derramava bem menos que um copo de água, e se mantinha mais estável quando movida de um lado para o outro.

“Percebemos que, quando carregávamos um pint de Guinness… Não espirrava praticamente nada”, disse Alban atual cientista da Frech National Center for Scientific Research, a Fusion.

Continue lendo

Brassagem da Cerveja Artesanal 100% Brasileira

Não podíamos deixar de constar em nossas postagens a brassagem da primeira cerveja produzida com insumos 100% brasileiro, fruto da garra e dedicação de nove cervejeiros gaúchos: Glauco Caon (Anner), Evandro Janovik (Saint Bier) e Eduardo Boger, Leo Sassen, Luis Balbinot, Marcelo Hartmann Terres, Pedro Joel Filho, Sylvio Marmora e Tiago Eduardo Genehr.

Esse marco na história cervejeira brasileira foi realizado no dia 20 de setembro de 2014, no Solar Coruja, em Porto Alegre/RS.

brassagem-cerveja-artesanal-100-brasileira

Como sabemos, por questões climáticas e até mesmo econômicas o Brasil não possui autonomia para produzir todos os insumos necessários para a produção da cerveja, forçando desta forma, a importação de muitos desses insumos por cervejeiros caseiros e cervejarias.

Os Insumos

A cevada que originou o malte utilizado na brassagem da cerveja artesanal 100% brasileira, foi cultivada em Ibirubá, onde o cultivo da cevada já é comum na região, e o processo de malteação foi realizado em Porto Alegre, na cervejaria Steilen Berg, pelo proprietário Juliano Zancanaro, e por Evandro Janovik, da Saint Bier.

Continue lendo

Vencedor do Concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn 2014

Chega ao fim o Concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn 2014, que nesta edição, desafiou os cervejeiros caseiros participantes a produzirem a melhor Belgian Blond Ale de “panela”, que se tornará a mais nova cerveja Eisenbahn.

Vencedor Concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn 2014

Com mais de 1000 inscrições, a 5ª edição do Concurso Mestre Cervejeiro contou com a avaliação de 26 especialistas, dentre eles mestres cervejeiros, beer sommeliers, jornalistas e blogueiros, que elegeram a receita de Anderson Faller, de Macaé/RJ, como a melhor Belgian Blond Ale participante do concurso.

“É inacreditável. Me sinto no ponto alto como o vencedor deste concurso. Não dá para imaginar! A emoção já foi muito grande quando me ligaram para avisar que eu estava entre os cinco finalistas. A cerveja ficou muito boa, mas como sou do interior não imaginava que iria chegar aqui. Eu não queria mandar, mas minha namorada me incentivou muito. Foi a 18ª cerveja artesanal que fiz e a primeira no estilo Belgian Blond Ale”, afirma o vencedor do 5º Concurso Mestre Cervejeiro, Anderson Faller.

Continue lendo

Um brinde as Moscas

Sabemos que uma parte dos aromas de uma cerveja são gerados no processo de fermentação devido a ação das leveduras, mas, você sabe por que as leveduras produzem esses aromas?

É meu amigo, confesso que nunca tinha parado para pensar nisso, mas em busca dessas respostas, uma equipe na Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, descobriu que o agradável aroma produzido pelas leveduras tinha um plano audacioso: atrair moscas!

Isso mesmo, moscas..rsrs

Continue lendo

Por que a cerveja artesanal é tão cara?

Por que a cerveja artesanal é tão cara? Pois é, este é sem dúvida uma das maiores discussões em torno das cervejas artesanais, deixando desde os bebedores de cerveja massificada até os adeptos da boa cerveja com uma “pulga atrás da orelha”.

Beer sampler - CC

Entender que, além de serem produzidas buscando excepcionalmente a qualidade do produto – o que já seria uma excelente justificativa –, a fabricação e venda da cerveja artesanal é também alvo de um alto encargo tributário.

Assim, pra sanar essa grandiosa dúvida, o pessoal do Mestre-Cervejeiro.com produziu um infográfico bem interessante, que explica os motivos que levam o preço da cerveja artesanal as alturas e mostra o verdadeiro vilão dessa história:

Continue lendo

Cervejas The Hobbit

Já se tornou bastante comum, cervejarias lançarem rótulos em homenagem a filmes ou seriados, e com o filme The Hobbit não podia ser diferente.

Autorizada pela MGM/New Line Cinema a cervejaria Fish Tale Ales, de Olympia, irá produzir as cervejas The Hobbit, que contará a princípio com dois rótulos:

The Hobbit (An Unexpected Journey) Gollum Precious Pils

The Hobbit (An Unexpected Journey) Gollum Precious Pils

The Hobbit (An Unexpected Journey) Gollum Precious Pils

Esta é uma Imperial Pilsner com lúpulo Northwest e 85 IBUS (unidade de Amargor), contando com um teor alcoólico de 9,5%.

Continue lendo

Reinheitsgebot – Lei da Pureza Alemã

De uma coisa você pode ter certeza: uma hora ou outra você vai acabar se esbarrando na Reinheitsgebot – Lei da Pureza Alemã – , seja na produção ou na degustação. Portanto, conhecer um pouco da sua história é fundamental.

(foto adrianpike)

(foto adrianpike)

A Lei da Pureza Alemã (Reinheitsgebot) foi promulgada pelo Duque Wilhelm IV (Guilherme IV) da Baviera em 23 de abril de 1516, trazendo algumas regras para a fabricação e distribuição da cerveja.

Este decreto tinha como um dos pontos mais fortes a utilização de somente água, malte de cevada e lúpulo, na fabricação da cerveja, com o intuito de garantir a qualidade da bebida. O que acabou por barrar a utilização de alguns ingredientes bizarros (como fuligem, cal e alucinógenos), que estavam sendo utilizados por muitos cervejeiros na época, o que poderia causar sérios problemas físico e mentais aos consumidores.

Não! Eu não esqueci da levedura.

Naquela época, a levedura era desconhecida ficando o processo de fermentação a cargo de alguma cepa selvagem ou por vezes, devido a adição de um pouco da cerveja de uma leva anterior, a qual já continha leveduras ativas, que iniciava assim o processo de fermentação. Mas, todo este processo era tratado de uma forma misteriosa e empírica pelos cervejeiros da época. Sendo esse mistério desvendado somente no final do século IXX com o início dos estudos de Louis Pasteur sobre a microbiologia.

Além de estabelecer os únicos ingredientes permitidos para a fabricação da cerveja, a Reinheitsgebot, também tratava dos impostos e estabelecia o preço de venda da cerveja na região.

Muitas especulações giram em torno do motivo real da promulgação desta Lei, passando desde uma forte ressaca causada por uma péssima cerveja ao Duque até pelo peso econômico devido a grande utilização de grãos valiosos (como trigo e centeio), que causaram a falta e consequente  aumento do preço dos produtos derivados desses grãos. Assim, o consumo de cerveja de trigo ficou limitado apenas a nobreza até o final do século 18. Espertinhos!!

Quase um trava língua, a Reinheitsgebot – Lei da Pureza Alemã, foi ganhando aceitação das regiões vizinhas a Baviera e se espalhando aos poucos, chegando a todo o Império Alemão a partir de 1906, já com a inclusão da levedura e admitindo o trigo como adjunto.

Confira a Lei da Pureza Alemã na íntegra:

Continue lendo